Mom's Life - Isto de conciliar maternidade, vida e trabalho...

/
4 Comments



Ele há super mulheres, eu sei que há. Mas eu não me considero uma delas. 

Os primeiros meses de vida do Alexandre, apesar de muito intensos e cansativos, com poucas horas e mal dormidas, pareciam-me ser mais organizados.  Conseguia orientar a lida da casa e cuidar do bebé. De vez em quando lá saímos de casa para espairecer.

Ao regressar ao trabalho a coisa mudou um pouco...e ainda mais quando ele começou a andar. 

Como optámos por ficar com ele em casa, dividimos a tarefa: quando eu trabalho ou está com o pai ou com os avós. Quando saio do trabalho fica geralmente comigo.  Temos o auxílio dos nossos pais, o que é fantástico e se calhar muitos de vós não podem dizer o mesmo. Mas ainda assim parece que  o tempo não estica e não se consegue fazer tudo. Limpezas com ele em casa é impossível. Não arrisco estar a mexer em produtos abrasivos com ele por perto. Às vezes fica umas horas nos avós para eu tentar orientar essa parte mas nunca é suficiente e sinto-me culpada de o estar a fazer. Então ainda mais se for para relaxar um pouco sem ele. Sei que ele está bem com os avós e fica feliz, mas eu fico sempre com um enorme peso no coração. E acabo por me sentir culpada e um pouco incompetente neste meu papel de mãe. 

Estas inseguranças e incertezas fazem parte, e se calhar se fosse tudo perfeito não tinha piada não era? Para já vem ele primeiro, e o resto fica para depois...

Vocês por aí, mães e pais, estratégias do vosso dia-a-dia? Partilhem comigo e com o resto dos seguidores ;)

Kiss kiss,
Catarina R.





You may also like

4 comentários:

  1. Oi linda. Hoje também deixei o meu de 17 meses com os avós para ir ao aqua comprar umas coisinhas que fazem falta 😕 porque durante a semana é impossível e ir com ele tb acaba-se por nao ver o k se quer 😕😕😕

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Alexandre hoje passou a manhã com o pai mas almoçou e fez a sesta da tarde nos avós. Eu estava a trabalhar. Depois de acordar fui buscá-lo, lá matei as saudades. Mas não fiz nada senão focar-me nele. Adoro mas infelizmente às vezes não pode ser... tenho que dividir o meu tempo por outras coisas.

      Eliminar
  2. Olá Catarina vida complicada e entendo bem teus sentimentos, também sou mãe e da primeira vez senti isso tudo mas jurei que se tivesse outro filho ia coloca lo o mais cedo possível no infantário! Fiz tal como tu com o meu filho mais velho que também se chama Alexandre, ficar casa e só aos 3 é que foi para infantário, e foi horrível nesse tempo em casa ficou muito agarrado e dependente, fixava sempre a chorar por mim eu ia trabalhar de rastos daí jurar que nunca mais ia fazer sofrer um filho meu assim. Eles são pequenos e habituam se facilmente nós é que pensamos que estamos a ser egoístas e que eles só estão bem connosco,mas acredita que não é bem assim, já com o Gustavo aos 6 meses foi é agora com 3 anos não houve um dia que tivesse ficado a chorar! Brincam, aprendem, socializam com outras crianças e só faz bem! Ambos mamaram até aos 3 anos e são completamente dependentes da mãe mas a diferença é que um não sofreu a separação! Ida de mãe, trabalhadora e lida da casa é uma valente obra!
    Gostei muito do vosso blog pelo conteúdo e imagem, ganharam uma Seguidora, convido te a conhecer o meu blog e a partilhares as tuas opiniões sempre que possível!
    Beijinhos
    Beleza De Mulher e Mãe
    Facebook
    Instagram

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Cristina,
      Obrigada pelo testemunho! Nós estamos a pensar agora aos 2 anos, estamos a sondar sítios para o efeito mas isto de desembolsar 300 euros é complicado...
      Beijos

      Eliminar